Você já sonhou e acordou e não conseguiu se mexer? Saiba o porquê disso

Entendendo a paralisia do sono

Durante o sono mais profundo, chamando de REM, ocorre uma paralisia fisiológica do corpo, conhecida como “atonia REM”, que é responsável por preservar a integridade física do organismo, uma vez que a pessoa pode se mexer enquanto dorme e acabar se machucando.

Esse evento está intimamente relacionado com a paralisia do sono, que ocorre quando o cérebro desperta do estado REM, mas a paralisia corporal persiste. O resultado é que a pessoa fica totalmente consciente, mas incapaz de se movimentar. Para piorar a situação, o indivíduo pode literalmente sonhar acordado, sofrendo alucinações hipnagógicas.

Sonho ou realidade?

Não é incomum pessoas que sofreram a paralisia do sono relacionarem o episódio como sendo apenas um sonho. Na verdade esse evento explica muitos relatos de sonhos onde as pessoas se veem deitadas na cama e impossibilitadas de se moverem e, de acordo com os cientistas, justifica até mesmo alguns relatos de abduções alienígenas e encontros com fantasmas.

Normalmente as alucinações que costumam acompanhar a paralisia do sono ajudam a aumentar as chances das pessoas que passam pelo problema acharem que tudo não passou de um sonho, pois objetos imaginários aparecem no quarto, se misturando com os objetos normais.

Sintomas da paralisia do sono

O principal sintoma do problema é a paralisia, onde a pessoa é incapaz de mover as partes do corpo ou falar, tendo apenas um controle mínimo sobre a respiração e os olhos. Geralmente ela ocorre assim que a pessoa desperta repentinamente, pois o cérebro pensa que ela continua dormindo e mantém a atonia REM com a pessoa consciente. As alucinações são outro sintoma frequente, mas que não ocorre em todos os casos. É possível que o paciente escute sons estranhos ou sinta a presença de alguém. Essas manifestações são muito parecidas com sonhos.

Tratamento

A maioria das pessoas não precisa de tratamento para a paralisia do sono, sendo o suficiente apenas a mudança e eliminação de alguns hábitos simples, que se relacionam com o desenvolvimento do problema. A medida mais importante é melhorar a qualidade do sono, dormido por, no mínimo, 6 horas por noite e tratamento problemas como a ansiedade e insônia, que atrapalham o descanso noturno. Em alguns casos o uso de medicação, como os antidepressivos e estimulantes do sono, podem ajudar a tratar outras doenças de base e prevenir o problema, mas devem ser indicadas por médico especialista.

A paralisia do sono é um problema pouco conhecido e que resulta em episódios extremamente desconfortáveis e assustadores, que muitas vezes podem ser confundidos com sonhos e até mesmo com encontro com fantasmas. Geralmente o problema pode ser prevenido com boas noites de sono e, em casos persistentes, é necessária uma consulta médica para melhor investigação.

Fonte: Mundo das Tribos, 22 de janeiro de 2013

Comente esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *