Estratégias Pedagógicas para Alunos com TDAH – O Incrível Zé

Estratégias Pedagógicas para Alunos com TDAH

Atenção, memória sustentada:

Algumas técnicas para melhorar a atenção e memória sustentadas

 1 – Quando o professor der alguma instrução, pedir ao aluno para repetir as instruções ou compartilhar com um amigo antes de começar as tarefas.

2 – Quando o aluno desempenhar a tarefa solicitada ofereça sempre um feedback positivo (reforço) através de pequenos elogios e prêmios que podem ser: estrelinhas no caderno, palavras de apoio, um aceno de mão… Os feedbacks e elogios devem acontecer SEMPRE E IMEDIATAMENTE após o aluno conseguir um bom desempenho compatível com o seu tempo e processo de aprendizagem.

3 – NÃO criticar e apontar em hipótese alguma os erros cometidos como falha no desempenho. Alunos com TDAH precisam de suporte, encorajamento, parceria e adaptações. Esses alunos DEVEM ser respeitados. Isto é um direito! A atitude positiva do professor é fator DECISIVO para a melhora do aprendizado.

4 – Na medida do possível, oferecer para o aluno e toda a turma tarefas diferenciadas. Os trabalhos em grupo e a possibilidade do aluno escolher as atividades nas quais quer participar são elementos que despertam o interesse e a motivação. É preciso ter em vista que cada aluno aprende no seu tempo e que as estratégias deverão respeitar a individualidade e especificidade de cada um.

4 – Optar por, sempre que possível, dar aulas com materiais audiovisuais, computadores, vídeos, DVD, e outros materiais diferenciados como revistas, jornais, livros, etc. A diversidade de materiais pedagógicos aumenta consideravelmente o interesse do aluno nas aulas e, portanto, melhora a atenção sustentada.

5 – Utilizar a técnica de “aprendizagem ativa” (high response strategies): trabalhos em duplas, respostas orais, possibilidade do aluno gravar as aulas e/ou trazer seus trabalhos gravados em CD ou computador para a escola.

6 – Adaptações ambientais na sala de aula: mudar as mesas e/ou cadeiras para evitar distrações. Não é indicado que alunos com TDAH sentem junto a portas, janelas e nas últimas fileiras da sala de aula. É indicado que esses alunos sentem nas primeiras fileiras, de preferência ao lado do professor para que os elementos distratores do ambiente não prejudiquem a atenção sustentada.

7 – Usar sinais visuais e orais: o professor pode combinar previamente com o aluno pequenos sinais cujo significado só o aluno e o professor compreendem. Exemplo: o professor combina com o aluno que todas as vezes que percebê-lo desatento durante as atividades, colocará levemente a mão sobre seu ombro para que ele possa retomar o foco das atividades.

8 – Usar mecanismos e/ou ferramentas para compensar as dificuldades memoriais: tabelas com datas sobre prazo de entrega dos trabalhos solicitados, usar post-it para fazer lembretes e anotações para que o aluno não esqueça o conteúdo.

9 – Etiquetar, iluminar, sublinhar e colorir as partes mais importantes de uma tarefa, texto ou prova.

LEIA MAIS EM  www.TDAH.org.br (Fonte)

Você pode gostar...

Comente esta postagem

4 Resultados

  1. virginia disse:

    Oi, Cícera!!
    Sou mãe de aluno com TDAH e fico muito feliz q vc seja uma profissional assim. Me emocionei até. Q Deus te dê em dobro toda a a dedicação q vc temcdado aos nossos filhos. Deus te abençoe MUITO!!!
    E muito obrigada!!!

  2. Jociléia disse:

    Oi Cícera sou mãe e estudante de pedagogia, que bom ouvir isso de você, meu filho tem TDHA ontem ainda falando com a professora dela ela só faltou dizer que a doença não existe e essa crianças agem de tal forma porque são mimados.

    • Cícera disse:

      Oi Jociléia, fico muito triste em saber, que em uma era totalmente inclusiva, tenham profissionais com esse pensamento.
      Agradeço de coração o elogio, realmente faço por amor, nossas crianças necessitam de um olhar diferenciado, não o rótulo de TDAH, mas mostrá-los que independente de síndromes e transtornos, há um potencial interior em cada um .
      Desejo tudo que há de melhor à vc e à sua criança!

  3. Elisandra disse:

    Parabéns Cicera quem dera se todos os pedagogos aplicassem esse metodo, pois sou mãe de um menino autista e tbm com defict de atenção e achar um profissional com vontade é o mais difícil pois nessa jornada vc se depara com professores q pararam no tempo q acha q isso não existe q é pura frescura… Lamentável

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *