Comissão de Educação votará novo piso salarial do magistério

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) reúne-se na terça-feira (20), às 11h, para votar, entre outros projetos, o PLS 114/2015, que aumenta o piso salarial dos professores da rede pública para R$ 2.743,65. A pauta completa da comissão pode ser vista aqui. Para ajudar a financiar o novo piso, o projeto também determina que 5% da arrecadação das loterias seja destinada a custear a complementação de salário dos professores.

Em 2015, de acordo com o Ministério da Educação, o vencimento inicial dos profissionais do magistério público da educação básica, com formação de nível médio modalidade normal, com jornada de 40 horas semanais, é de  R$ 1.917,78.

O projeto é da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e recebeu voto favorável da relatora, senadora Ângela Portela (PT-RR). O projeto ainda deverá passar pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), onde irá tramitar em decisão terminativa. Caso seja aprovado, irá diretamente para a Câmara dos Deputados.

A CE também pode analisar o PLS 138/2012, que institui o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos que tenham sido expedidos por universidades estrangeiras. O objetivo é aferir se existe equivalência na formação dos profissionais formados no exterior e no Brasil.

Outros projetos na pauta da comissão são o PLS 488/2015, que valoriza o desporto escolar dentro daLei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB); o PLS 49/2014, que dispõe sobre a gratuidade de ingresso em museus; e o PLS 417/2013, que institui o Dia Nacional de Combate à Tortura.

Galeria

A CE também irá inaugurar três novos retratos na galeria de ex-presidentes da comissão. Serão incluídos na galeria os retratos do senador Roberto Requião (PMDB-PR), presidente entre 2011 e 2013, e dos ex-senadores Cyro Miranda (PSDB-GO, 2013-2015) e Fátima Cleide (PT-RO, 2009-2011).

Fonte: Agência Senado

Comente esta postagem

2 Resultados

  1. lilian disse:

    Enquanto isso em for mosaico nem o piso de 2015 foi pago… segundo os gestores municipais, a crise não permite mas os vereadores estavam tentando aprovar um aumento de 50% no salarios deles e do prefeito. Não tem dinheiro pra pagar o piso mas pra aumentar um salário de 8 pra 12 mil isso tem…

  2. tg disse:

    Sabendo que o salário mínimo necessário de acordo com o dieese para o corrente mês é de R$ 3.240,27; podemos verificar que está muito longe parar de trabalhar de segunda a segunda, turno dobrado e mais alguns bicos que conseguir “inventar”, além de ficar vigiando prova de vestibulares, concursos públicos e etc .
    E no final, já sabe, sem tempo praŕ família, para cursos de especialização, fazer exercícios, tirar umas férias, cuidar da saúde e por aí vai…
    Já ia esquecendo: vai ter que fazer mais um consignado!
    Tá achando que é brincadeira???
    É só pesquisar, se não for professor(a) que tem pai ou marido bancando, mais de 80% se encaixa nessa situação.
    Doença nem pensar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *