Ex-escrava Harriet Tubman será homenageada nas cédulas de 20 dólares

O secretário de tesouro americano anunciará na próxima quinta-feira (21/04/2016) que a imagem a Harriet Tubman estará na nota de 20 dólares. Durante muitos anos de sua vida ela viveu sob o domínio da escravidão, e quando conseguiu se libertar, criou a rede que ofereceu condições para  que mais pessoas que estavam escravizadas conseguissem fugir do sul dos Estados Unidos para os estados livres.

Este é um tardio reconhecimento por tudo que essa mulher forte e extraordinária fez pela abolição da escravidão no sul dos EUA e pela liberdade de inúmeras famílias. Harriet pessoalmente conduziu pessoas de sua família e outros companheiros que estavam sob o domínio da escravidão até os estados do norte onde a escravidão era proibida. Sua rede era chamada de Underground Railroad e esteve em atuação antes de estourar a Guerra Civil Americana que aboliu de vez a escravidão em todo o território norte-americano.

dolar

A Underground Railroad era uma rede de rotas secretas e esconderijos usados para a fuga para os estados livres e para o Canadá. Ela conseguiu libertar centenas de pessoas da escravidão.

Harriet Tubman substituirá o presidente Andrew Jackson, cuja presença na nota de 20 dólares já era muito criticada pois ele foi o responsável por um dos maiores massacres dos povos indígenas nos Estado Unidos, conhecido como Trilha das Lágrimas.

Ações como essa de afirmação e reconhecimento de mulheres em símbolos nacionais servem como um incentivo para meninas e mulheres do mundo inteiro que têm contato com o dinheiro americano (que circula pelo mundo inteiro). O rosto de Harriet Tubman nas notas de 20 dólares pode levar a história da sua vida às pessoas que ainda não a conhecem, ou só ouviram falar pouco dela. Ao conhecer sua história elas podem se ver espelhadas como heroínas e construtoras de um mundo melhor e mais igualitário, sem espaço para a subjugação de outros seres humanos pela força ou qualquer tipo de discriminação.

Texto: Juliano Rocha e Daniele Carneiro – Bibliotecas do Brasil
Via: The Independent

Você pode gostar...

Comente esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *