9 Ações que poderão ajudar a melhorar o IDEB de sua escola

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) foi criado pelo Inep em 2007 e representa a iniciativa pioneira de reunir em um só indicador dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: fluxo escolar e médias de desempenho nas avaliações. Ele agrega ao enfoque pedagógico dos resultados das avaliações em larga escala do Inep a possibilidade de resultados sintéticos, facilmente assimiláveis, e que permitem traçar metas de qualidade educacional para os sistemas.

Como as escolas campeãs do IDEB chegaram ao topo do ensino público no Brasil? Com uma mistura de características comuns:

1. Padronização de conteúdo –> De acordo com pesquisas, a existência de um currículo obrigatório, com metas bem definidas, é determinante para o sucesso do ensino. Em grande parte do Brasil, esse currículo ainda não existe. Nas escolas campeãs, ao contrário, há um padrão comum a toda rede, que garante a homogeneização do que é ensinado aos estudantes. Aqui é essencial um Plano de Educação, que articule e oriente as políticas educacionais municipais.

2. Valorização do professor –> Nas escolas de bom desempenho, a valorização dos professores tem duas frentes: remuneração e capacitação.
As bonificações estão atreladas à assiduidade dos mestres. Além disso, a média salarial corresponde, em geral, a média salarial geral de cada cidade. Também investe-se em formação inicial e continuada. Convênios entre faculdades locais e prefeitura garantem descontos para cursar uma faculdade ou curso de pós-graduação. Mais de 90% dos professores das escolas campeãs têm ensino superior completo.

3. Presença garantida do professor e do aluno –> Em todas as escolas, a conscientização para combater ausências de professores e alunos é a chave para índices de faltas próximos de zero. O combate à rotatividade e ao absenteísmo dos professores está atrelado, na maioria dos casos, a bonificação salarial.

4. Mais horas na escola e atividades no contraturno –> A exemplo do que ocorre em países onde a educação funciona bem, as crianças passam mais tempo na escola. A média no ensino fundamental I é de 5 horas, contra 4,3 no restante dos países. Além disso, há atividades extracurriculares no contraturno.

5. Trabalho em equipe –> Professores afinados, coordenados por um diretor que sabe motivar a equipe e mobilizar a comunidade. A experiência das escolas campeãs mostra que a ênfase no trabalho em equipe dá bons resultados.

6. Boa infra-estrutura, biblioteca e internet –> As escolas campeãs não têm infra-estrutura de parque de diversões. Pelo contrário. As instalações são simples, porém limpas e bemcuidadas. Não há depredação. Como não há, muitas vezes, espaço físico grande, as escolas buscam soluções. As escolas campeãs também contam com biblioteca e com acesso à internet e/ou laboratório de informática.

7. Participação dos pais na escola –> Pesquisas em todo o mundo comprovam que a participação dos pais é fundamental para a aprendizagem das crianças. Um estudo recente da Fundação Itaú Social, por exemplo, revelou que a participação da família na educação representa 70% do desempenho escolar de um estudante. Pensando nisso, as escolas que ocupam o topo do ranking do Ideb envolveram os pais.

8. Avaliação constante para identificar alunos com dificuldades de aprendizagens–> A experiência internacional diz que avaliar e cobrar resultados é importante para avançar.

9. Reforço no contraturno com dificuldades de aprendizagens –> Não existem estatísticas oficiais no Brasil sobre reforço escolar, mas são raras as redes de ensino que fazem uso desse tipo de aula. Nas escolas campeãs do Ideb, porém, o reforço acontece, no mínimo, duas vezes por semana. A valorização do reforço nessas redes parte da seguinte premissa: todos podem aprender, mas os estudantes têm ritmos diferentes de aprendizagem. O diagnóstico dos alunos com mais dificuldades de aprendizagens vem do contato diário com o professor e do resultado das provas e de avaliações periódicas.


COM INFORMAÇÕES ADAPTADAS DE http://www.jorgeamaro.com.br/noticia-97.htm

Você pode gostar...

Comente esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *