Proposta de sequência de atividades de oralidade, leitura e escrita (Pré-escola) – MUITO BOM

 Sugestões de ações para cada atividade da sequência:
– Identificação do TÍTULO das narrativas: oralmente, indicando na capa da história; a partir de palavras que compõem o título da história, escritas convencionalmente em fichas ou tarjetas; coletivamente, por meio da brincadeira da forca; brincando de caça ao tesouro para encontrar as palavras que pertencem ao título/personagens.

– Formação de PALAVRAS significativas pertencentes aos contextos dos gêneros e portadores usando o alfabeto móvel: entregar várias letras do alfabeto móvel, já recortadas; reduzir a quantidade de letras do alfabeto, apenas em quantidade um pouco maior da correspondente para formar a palavra; entregar a quantidade exata das letras que compõem a palavra, estando apenas desordenadas; substituir símbolos ou números pelas letras. É importante para que as crianças manipulem as letras nessa atividade, para também “mexerem” o seu pensamento, fazer, desfazer, flexibilizando a sua hipótese.

– Escrita ESPONTÂNEA de palavras, frases e trechos significativos pertencentes aos gêneros e portadores sociais de textos no contexto das narrativas: individual, e fazendo os desenhos correspondentes; escrever a partir de imagens e gravuras, etc. É necessário, contudo, preparar o espaço do papel (organização espacial) de maneiras diferentes, para receber a escrita das crianças, possibilitando formas variadas de registro espontâneo de palavras, frases e trechos pertencentes às narrativas exploradas. É interessante expor as produções de desenhos e escritas das crianças para valorizar suas hipóteses.

– Escrita CONVENCIONAL de palavras, frases e trechos significativos pertencentes aos gêneros e portadores sociais no contexto das narrativas: o(a) professor(a), como escriba convencional, escreve as palavras que integram o campo
semântico das narrativas, produzindo um texto coletivo (reconto); identificar as palavras escritas convencionalmente em fichas ou tarjetas; comparar escritas produzidas em duplas, trios, etc; completar palavras com letras ou sílabas que estejam faltando; encontrar palavras iguais, relacionando-as aos respectivos desenhos e assim por diante. Fazer listas das histórias lidas; Não é necessário que as crianças escrevam convencionalmente, mas que a visualize e compare com a hipótese de escrita em que se encontra, para refletir e evoluir!


CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O ARQUIVO COMPLETO


Material desenvolvido pela Secretaria de Educação de Fortaleza/CE

Você pode gostar...

Comente esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *