Conheça as propostas de Haddad e Bolsonaro para a EDUCAÇÃO

Conheça as principais propostas dos candidatos à presidência no Brasil, Jair Messias Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), os quais serão votados no próximo domingo. Este post não tem a intenção de favorecer a nenhum dos candidatos.


Jair Messias Bolsonaro – PSL
  • “Dar um salto de qualidade na educação com ênfase na infantil, básica e técnica, sem doutrinar”;
  • Ter, em dois anos, um colégio militar em todas as capitais do País;
  • Mudar conteúdo e métodos de ensino. “Mais matemática, ciências e português, SEM DOUTRINAÇÃO E SEXUALIZAÇÃO PRECOCE”;
  • Dar prioridade à educação básica e ao ensino médio/técnico. “Quanto antes nossas crianças aprenderem a gostar de estudar, maior será seu sucesso”;
  • Fomentar o empreendedorismo “para que o jovem saia da faculdade pensando em abrir uma empresa”;
  • Utilizar a educação a distância como “alternativa para as áreas rurais onde as grandes distâncias dificultam ou impedem aulas presenciais”;
  • Revisar e modernizar o conteúdo, desde a alfabetização, “expurgando a ideologia de Paulo Freire”;
  • Alterar a Base Nacional Comum Curricular;
  • Impedir a “aprovação automática”;
  • Universidades devem gerar avanços técnicos, desenvolver novos produtos por meio de parcerias e pesquisas com a iniciativa privada.
Fernando Haddad – PT
  • Melhorar ensino em escolas de regiões de alta vulnerabilidade;
  • Criar um programa de permanência na escola para jovens em situação de pobreza, a fim de combater a evasão e elevar o rendimento escolar;
  • Investir em forte atuação na formação dos educadores e na gestão pedagógica da educação básica, na reformulação do ensino médio e na expansão da educação integral;
  • Concretizar as metas do Plano Nacional de Educação (PNE), em articulação com os planos estaduais e municipais de educação;
  • Institucionalizar o Sistema Nacional de Educação, instituindo instâncias de negociação interfederativa;
  • Criação de política de apoio à melhoria da qualidade da gestão em todos os níveis e aperfeiçoamento do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb);
  • Criar um novo padrão de financiamento, visando progressivamente investir 10% do PIB em educação, conforme a meta 20 do PNE;
  • Implementação do Custo-Aluno-Qualidade (QAQ) e institucionalização do novo Fundeb, de caráter permanente, com aumento da complementação da União;
  • Retomada dos recursos dos royalties do petróleo e do Fundo Social do Pré-Sal;
  • Fortalecer a gestão democrática, retomando o diálogo com a sociedade na gestão das políticas bem como na gestão das instituições escolares de todos os níveis;
  • Investir no ensino superior e ampliar os investimentos em ciência, tecnologia e inovação;
  • Remontar o Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I);
  • Recompor e ampliar o Sistema Nacional de Fomento de CT&I;
  • Recriar o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI);
  • Criar o Plano Nacional de Juventude e Sucessão Rural, voltado para a educação no campo.
  • Revogar a reforma do Ensino Médio;
  • Programa de permanência na escola para jovens em situação de pobreza, combate à evasão e elevação do rendimento escolar;
  • Reforço de ações para educação inclusiva, relações étnico-raciais, valorização da diversidade e direitos humanos, sob perspectiva não discriminatória;
  • Criar política nacional de valorização e qualificação docente, garantir o piso salarial nacional e implementar prova nacional para ingresso na carreira docente;
    Colaboração com municípios para ampliação com qualidade das vagas em creches, além de fortalecer as políticas voltadas para a pré-escola;
  • Expandir educação integral, sobretudo nas regiões mais vulneráveis.

Comente esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *