Comissão na Câmara aprova direito a merenda escolar para professores da rede pública

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados aprovou na última quarta-feira (15) proposta (PL 457/15) do deputado Dr. Jorge Silva (Pros-ES) que estende o direito à merenda escolar a todos os profissionais de educação da rede pública de ensino básico.

Hoje, o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) é voltado exclusivamente para alunos da educação básica (educação infantil, ensino fundamental, ensino médio e educação de jovens e adultos).

O texto garante alimentação ao profissional em educação em atividade, durante o período letivo, nas creches, pré-escolas e escolas da educação básica públicas, bem como nas escolas filantrópicas e comunitárias conveniadas com entes federados.

Relatora no colegiado, a deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO) defendeu a medida. “É preciso criar meios para que os profissionais da rede escolar possam se alimentar adequadamente durante a jornada estendida de trabalho”, afirmou. Ela ressaltou, porém, que o intuito não é destinar aos professores “sobras de alimentação escolar”, o que “apequenaria e desrespeitaria a categoria”.

Alex Ferreira/Câmara dos Deputados
Professora Dorinha Seabra Rezende

Professora Dorinha: profissionais da rede escolar precisam se alimentar adequadamente durante a jornada estendida de trabalho, FOTO:Alex Ferreira/Câmara dos Deputados

Tramitação
A proposta tem caráter conclusivo e ainda será analisada pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

ÍNTEGRA DA PROPOSTA:

Reportagem – Emanuelle Brasil
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura ‘Agência Câmara Notícias

Você pode gostar...

Comente esta postagem

10 Resultados

  1. monica disse:

    Aki na Bahia muitos prof foram devolvidos por alimentar a merenda das crianças

  2. Aline disse:

    Primeiro fiquei feliz em ver esta postagem. Não simplesmente porque fomos liberados para comer e sim por achar que isso nunca teve cabimento … de nós professores não poder comer a comida e até mesmo elas irem para o lixo! Mas fiquei mais abismada quando li os post… falando que a merenda seja horrível ou cardápios malucos? E tratando elas como esmolas…em todos os lugares que já trabalhei nunca vi algo do tipo que vocês falaram, sempre a comida foi muito boa e bem feita. Tudo bem que precisaríamos de um salário melhor…. Mas falar assim de comida? Algo sagrado que muitos não tem… As vezes as coisas não mudam porque os erros estão em nós mesmo!

  3. Janilde disse:

    Trabalho como professora há quase 5 anos e confesso que presenciei e vivenciei algumas coisas inacreditáveis…. Como… ” é pra jogar o que sobrou para as galinhas ou deixa para os professores?” Pergunta feita por uma cozinheira a direção de uma creche.

    Situações como você ganha o tikcet então tem que manter sua alimentação….. Não são todos os lugares que aceitam ticket….. E nem sempre conseguimos chegar em casa depois de quase 10 horas trabalhadas ir para o fogão e fazer almoço para o dia seguinte…. Quando não dá nos sobra a criatividade
    …lanches… E marmitas que nem sempre chegam a tempo. No mínino é de se pensar um pouco…..

  4. Sirlei disse:

    Na verdade, o recurso per capita por dia por aluno é R$O,30,isso mesmo, trinta centavos, dá para comprar o que mesmo?

  5. Luciana disse:

    Sou nutricionista de merenda escolar terceirizada e nas minhas escolas tem vários professores que comem,nunca proibi.. O que achi super errado é que tem vários que querem escolher o que colocar no prato, se quer fazer dieta que leve de casa,pq a comida tem que ser oferecida completa como se dá p o aluno,pq querendo ou não vcs são educadores e vem aí o incentivo p as crianças comerem de tudo.A comida é excelente nas escolas públicas, comida feita na hora e não tem pq professores se negarem qdo é dia de Ivo e peixe a não comer e ainda fazer caras e bocas…Isto fico triste em ver!!!!

    • Gerusa disse:

      Você deve esta equivocada, ou não sabe a realidade de alguns estados, pois no RN a merenda quase todos os dias é bolacha ? e suco, bolacha ? e iogurte, bolacha ? e achocolatado, e normalmente são 4 creme crack. Portanto não é alimentação adequada para ninguém, menos para crianças em fase de crescimentos. Será que as nutricionistas da merenda oferece esse mesmo cardápio para seus próprios filhos?

  6. Cida Marques disse:

    Me sinto envergonhada, que pais é esse? Será que esquecem que todos passam por um professor, que sem o professor jamais seriam alguém na vida.

  7. clebenice disse:

    Gostei dessa colocaçao. Onde ja se viu negar comida pra alguem que estar trabalhando!!!! Mas nao se enganem atualmente 2016 na escola que trabalho os professores foram proibidos de merendar, só poderar merendar depois dos alunos , se sobrar claro! Sendo que a merenda feita quase num da para os alunos. Ou seja o prof tem q esperar todos os alunos receber pr depois ele pegar a dele isso se os 15 minutos de intervalo nao tiverem terminado.

  8. Elisângela disse:

    Trabalho em uma creche Municipal e MG e segunda feira (04/07/16) nós professores fomo proibidos de merendar na creche. Eles alegam que os alimentos estão poucos, para economizarmos para não faltar para os alunos. Achei um absurdo! Vivemos numa miséria, onde a prefeitura não tem verba para a merenda escolar, mas tem para os grandes desvios. Uma vergonha!

  9. Nezita disse:

    E em relação ao ticket, nem todos os professores recebem! Sou do Estado de São Paulo, aqui não ganhamos fortuna, e se trata do estado mais rico do Brasil! Se você atinge final de carreira, fica parecendo que seu ganho já é muito bom! Sendo assim, você não precisa de vale refeição! Tudo isso mostra que seu salário é igual o de políticos, diferente só nos benefícios extras. Pobre professor
    !!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *