Adaptações necessárias para receber alunos autista

Confiram:

  • Manter a organização do espaço físico (pouco material visual exposto na parede, no chão e no teto, selecionar previamente os materiais a serem utilizados na atividade e eliminar os demais estímulos desnecessários).
  • Recursos facilitadores como, sinalizar o início, a transição ou a finalização de uma atividade por meio de sons ou movimentos (ex: uma música).
  • Reduzir ruídos externos e internos durante a realização de atividades
  • Alocar as crianças longe das janelas, de portas e grande circulação durante a realização de atividades que exigem maior atenção.
  • Organizar o quadro de rotina em que se possa tocar, cheirar, grudar, colar, validar as informações sensoriais que mais facilitam a compreensão e a organização do aluno.
  • Promover antecipação das atividades com a apresentação da rotina.
  • Falar em tom mais baixo, para diminuir o alerta da classe e aumentar a atenção dos alunos.
  • Ajustar postura da criança, para que mantenha mais atenção (oferecer assentos texturizados, almofadas ou bolas de pilates, ajustar a altura da mesa e da cadeira, proporcionando que a criança apoie os pés no chão e os cotovelos sobre a mesa).
  • Respeitar limites das crianças que apresentam sensibilidade ao toque e sons;
  • Permitir o uso de engrossadores de lápis para o refinamento da escrita, incentivar o desenho livre com os dedos sobre superfícies lisas e com texturas.
  • Promover brincadeiras que envolvam movimentos e coordenação motora grossa antes de iniciar uma atividade de coordenação motora fina.
  • Promover atividades de coordenação motora fina com as crianças em diversas posições (chão, carteiras, em pé ou com apoios diferenciados).
  • Recursos visuais são facilitadores na atenção e na execução das atividades pedagógicas (ex: engrossar as linhas do caderno com caneta preta, usar contrastes preto e amarelo ou azul e branco para destacar ordem e regras a serem seguidas durante a atividade).
  • Recursos auditivos são importantes para prevenir que a criança entre em estado de alerta, é importante antecipar sons inesperados (como o sinal para o recreio ou para o termino de uma aula).
  • Minutos antes do termino do recreio, propor brincadeiras mais mais calmas, ou permitir que a criança entre depois dos colegas quando a sala estiver estabilizada.

Referência:

– GREENSPAN, Stanley I.; WIEDER, Serena. El Niño con Necessidades Especiales. The interdisciplinary Council on Developmental and Learning Disorders (ICDL), 2006.

– MOMO, Aline R. B; SILVESTRE, Claudia; GRACIANI, Zodja. O processamento sensorial como ferramenta para educadores: Facilitando o processo de aprendizagem. 3 ed. São Paulo:  Artevidade/Mennon , 2011.

FONTE: Este material é parte integrante de um post postado original em http://www.reab.me/autismo-e-escola/

Você pode gostar...

Comente esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *