“Parem de comparar escola com bar ou shopping”, pede professor da USP

FOTO: Campanha.org

“Virou moda no debate público brasileiro. Escola não tem nada a ver com bar ou shopping. Escola é um espaço complexo, depende de relações pessoais”, afirmou à TV 247 o professor da Faculdade de Educação da USP.

Professor da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), Daniel Cara concedeu entrevista à TV 247 e fez um apelo: “parem de comparar escola com bar e shopping”. Segundo o especialista, a reabertura de escolas durante a pandemia é um processo muito complexo e totalmente diferente de outras atividades.

Ele ressaltou que, primeiramente, é preciso ter a pandemia controlada para, aí sim, discutir a reabertura dos locais de ensino. De acordo com Cara, um estudo da Rede Análise da Covid-19 e uma publicação da revista científica The Lancet já comprovam que as escolas só podem ser reativadas diante de uma situação de controle da Covid-19, o que não ocorre atualmente no Brasil. “A situação de reabertura das escolas da maneira como tem ocorrido e considerando as novas variantes é concretamente arriscada. É primeiro preciso controlar a pandemia para depois reabrir escolas. O Brasil, salvo raras exceções, não cuidou da pandemia, passou um ano e não preparou as escolas para uma reabertura segura, não adquiriu os EPIs necessários, não construiu junto com os professores os protocolos para a reabertura de escolas e o que está acontecendo é que estados e municípios que reabriram escolas sem o cuidado necessário estão se deparando com o fato de que pessoas das comunidades escolares estão morrendo”, falou o professor.

“Por favor, parem de comparar escola com bar e shopping. Virou moda no debate público brasileiro. Escola não tem nada a ver com bar ou shopping. Escola é um espaço complexo, depende de relações pessoais. Isso que é mais rico nas escolas. Tudo que eu quero, como educador, é ter escola reaberta. E de que maneira? Em todos os dias da semana, inclusive sendo utilizada aos finais de semana, fazendo grandes contratações de estudantes de pedagogia para organizar educação física, história, química, geografia, organizar oficinas para trabalhar questões esportivas, para trabalhar questões culturais. É claro que eu quero escola aberta, mas quando for seguro, e o Brasil não preparou as escolas para a segurança necessária diante da Covid-19. Respeitem as escolas e entendam que escola não tem nada a ver com bar ou com shopping”, completou.

FONTE: https://www.brasil247.com/

Comentários - Deixe sua opinião